Introdução

Desde que me conheço por gente, escuto e também reclamo da política brasileira, situação que vem piorando ao passar dos anos, por motivo do povo estar perdendo a noção dos princípios morais. O mundo político é uma representação de nossa sociedade, onde há honestos e desonestos, os desonestos ganham espaço porque os honestos se calam, ou não sabem como agir. Lembrem-se: “onde bandido manda o povo paga”.

Na ultima eleição a deputado pretendia votar em um determinado candidato, por ter um passado conhecido e limpo, porem antes de dar meu voto fui verificar o que havia feito em seu mandato anterior, para minha surpresa, seus projetos eram: nomes de praças, nomes de ruas, etc: como outros projetos fúteis de outros deputados: dia da pizza, dia do mel, etc. Projetos votados a alto custo, pago pelo povo.

Daí surgiu a vontade de elaborar um veiculo que tenha por finalidade, publicar idéias do povo discutidas pelo povo, e que possam serem aproveitadas por aqueles políticos honestos que não tem idéia de como ajudar nosso País.

Declaro que não represento nenhum partido politico, minha intenção é por um Brasil melhor.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Aprovação de lei pelo povo.

A vontade do povo, quando manifestada por abaixo-assinado, e tendo atingido o mínimo de assinaturas, deve entrar no conteúdo da próxima eleição, com opções “ sim, não, desconheço “, onde 50% dos votos válidos + 1( sim e não),se aprovado,torna imediatamente lei, não dependendo de político nenhum.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Morador de rua

Os problemas dos moradores de rua poderiam serem amenizados com a criação de setores de acampamentos, próximos aos grandes centros, áreas com banheiros, cozinha e barracas de camping, com monitores para manter a ordem e o trabalho dos usuários, (limpeza, refeição, cultivo, etc). A criação do sistema facilitaria o trabalho social, na tentativa de resgatar a dignidade do cidadão, eliminação das drogas, etc.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O probleba do brasileiro é a cegueira !

O problema do Brasil não é o analfabetismo e sim a cegueira, pois os eleitores não conseguem enxergar a podridão que corre por trás da política. Até quando vamos aguentar o descaso, estamos sendo feitos de palhaços, pagamos para sermos roubados, aguentar um sistema de saúde precário, transporte péssimo, educação decadente, segurança nem se fala. Enxerga Brasil !

sábado, 27 de junho de 2009

Politica podre

É lamentável a falta de respeito dos políticos brasileiros com seus eleitores, e porque não com o Brasil. O Brasil está sendo dirigido por uma verdadeira quadrilha, onde ninguém vê nada, e onde tudo pode.
Isso é democracia?
Tanta luta contra a Ditadura para isso?

Temos de clamar por uma reforma politica urgente, recuperar a moral e a ética, exigir a punição dos corruptos.

sábado, 6 de junho de 2009

Politica tributária

O caminho é gerar um débito tributário no momento da compra da mercadoria, e esse ser abatido no momento da emissão da nota fiscal de venda; ou seja: se o comerciante deixar de emitir a nota fiscal, ele estará pagando imposto a mais, desta forma o fisco não mais terá preocupações com mercadoria circulando sem nota fiscal.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Poluição dos rios

Deveria ter uma lei obrigando a analise das águas de um rio quando ele entra em um município, e quando saí, o diferencial de poluição ser convertido em multa paga ao município seguinte, afim de compensar o estrago ambiental. Se o município tiver tratamento, e liberar a água mais limpa, se beneficiará do valor recebido na entrada do rio, proporcional ao índice de despoluição, repassando a sobra. Se poluir mais, somara à multa o proporcional de poluição.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Indigente

A coisa mais triste é ver um ser humano jogado na rua vivendo como animal, sem dignidade e desprezado pela sociedade; o comentário é que ele não quer ajuda, que existem os abrigos, que é uma opção de vida, e por ai adiante.
A verdade é que o ser humano nessa situação está todo degradado, sem auto-estima , já não consegue avaliar sua situação de vida.
Ideia: criação de sítios próximos aos grandes centros urbanos, com apoio da prefeitura e faculdades de diversas áreas, efetuando serviços de pós-graduação, (estágios), resgatando a dignidade do cidadão e dando nova oportunidade de profissionalização.
Em primeiro lugar o individuo deve ser convidado, é claro que nem sempre irá aceitar, pois a sociedade o despreza e ele já não tem noção de sua real situação; "caso não concorde" ocorrerá a internação compulsória, deverá ser conduzido por autoridades, com acompanhamento do serviço social que o conduzirá ao centro de reabilitação, onde será fotografado registrando sua atual situação, encaminhá-lo a banho, barbeiro, dentista, médico, em fim tudo que for necessário. Após uma reabilitação mostrar que ele é um ser humano digno, e que tem uma nova oportunidade.
O retorno às ruas jamais deverá ser permitido, na pior das hipóteses deve ser aproveitado no próprio sitio, ou encaminhado para internação.

Terceira idade

Em varias matérias veiculadas na TV se houve falar do grande gasto em saúde com pessoas da terceira idade, sendo que: na maioria dos casos são por carência e não realmente doença.
A idéia é criar centros de atendimento ligados a clubes públicos, onde teríamos o posto médico com toda a infra-estrutura do SUS, com parceria de faculdades com projetos de graduação voltado para o bem estar social; cursos de artesanatos; caminhadas; sala de jogos; salas de danças; refeição a $1,00; etc. Enfim um trabalho voltado para o dia a dia do idoso, proporcionando saúde e ocupação, diminuindo os gastos médicos/medicamentos.

Salários públicos.

Os salários de políticos deveriam seguir uma regra fixa, conforme modelo:
Estabelecer a hierarquia e atribuir um "peso" à variável "X", conforme o cargo, onde: "X" multiplicado pelo Salário mínimo determina o salário final. Esse "peso", jamais poderá ser alterado, e nem agregado outros benefícios.
O salário mínimo ser aumentado conforme variação do PIB, de forma que se os políticos quiserem aumento, terão de trabalhar para o crescimento da economia, ou seja: a favor do Brasil e não pelos interesses próprios.