Introdução

Desde que me conheço por gente, escuto e também reclamo da política brasileira, situação que vem piorando ao passar dos anos, por motivo do povo estar perdendo a noção dos princípios morais. O mundo político é uma representação de nossa sociedade, onde há honestos e desonestos, os desonestos ganham espaço porque os honestos se calam, ou não sabem como agir. Lembrem-se: “onde bandido manda o povo paga”.

Na ultima eleição a deputado pretendia votar em um determinado candidato, por ter um passado conhecido e limpo, porem antes de dar meu voto fui verificar o que havia feito em seu mandato anterior, para minha surpresa, seus projetos eram: nomes de praças, nomes de ruas, etc: como outros projetos fúteis de outros deputados: dia da pizza, dia do mel, etc. Projetos votados a alto custo, pago pelo povo.

Daí surgiu a vontade de elaborar um veiculo que tenha por finalidade, publicar idéias do povo discutidas pelo povo, e que possam serem aproveitadas por aqueles políticos honestos que não tem idéia de como ajudar nosso País.

Declaro que não represento nenhum partido politico, minha intenção é por um Brasil melhor.

sábado, 27 de junho de 2009

Politica podre

É lamentável a falta de respeito dos políticos brasileiros com seus eleitores, e porque não com o Brasil. O Brasil está sendo dirigido por uma verdadeira quadrilha, onde ninguém vê nada, e onde tudo pode.
Isso é democracia?
Tanta luta contra a Ditadura para isso?

Temos de clamar por uma reforma politica urgente, recuperar a moral e a ética, exigir a punição dos corruptos.

sábado, 6 de junho de 2009

Politica tributária

O caminho é gerar um débito tributário no momento da compra da mercadoria, e esse ser abatido no momento da emissão da nota fiscal de venda; ou seja: se o comerciante deixar de emitir a nota fiscal, ele estará pagando imposto a mais, desta forma o fisco não mais terá preocupações com mercadoria circulando sem nota fiscal.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Poluição dos rios

Deveria ter uma lei obrigando a analise das águas de um rio quando ele entra em um município, e quando saí, o diferencial de poluição ser convertido em multa paga ao município seguinte, afim de compensar o estrago ambiental. Se o município tiver tratamento, e liberar a água mais limpa, se beneficiará do valor recebido na entrada do rio, proporcional ao índice de despoluição, repassando a sobra. Se poluir mais, somara à multa o proporcional de poluição.