Introdução

Desde que me conheço por gente, escuto e também reclamo da política brasileira, situação que vem piorando ao passar dos anos, por motivo do povo estar perdendo a noção dos princípios morais. O mundo político é uma representação de nossa sociedade, onde há honestos e desonestos, os desonestos ganham espaço porque os honestos se calam, ou não sabem como agir. Lembrem-se: “onde bandido manda o povo paga”.

Na ultima eleição a deputado pretendia votar em um determinado candidato, por ter um passado conhecido e limpo, porem antes de dar meu voto fui verificar o que havia feito em seu mandato anterior, para minha surpresa, seus projetos eram: nomes de praças, nomes de ruas, etc: como outros projetos fúteis de outros deputados: dia da pizza, dia do mel, etc. Projetos votados a alto custo, pago pelo povo.

Daí surgiu a vontade de elaborar um veiculo que tenha por finalidade, publicar idéias do povo discutidas pelo povo, e que possam serem aproveitadas por aqueles políticos honestos que não tem idéia de como ajudar nosso País.

Declaro que não represento nenhum partido politico, minha intenção é por um Brasil melhor.

domingo, 20 de outubro de 2013

GRITO DAS RUAS

Acho que o atual momento é uma via de mão única, já que parte da população acordou e tentou por para fora parte do que vem nos sufocando durante esse período de abertura politica, devemos exigir uma reforma politica e moral, o atual prefeito eleito em São Paulo está havido por dinheiro, porque ao invés de tentar aumentar a arrecadação de multas de transito, prevista em mais de 30%, e um absurdo aumento no IPTU que deve chegar a quase 200% nos próximos anos, não efetua uma verdadeira limpeza fechando os ralos e botando ordem na casa. É para isso que o PT queria a maior prefeitura do Brasil para ter mais poder de sustentar a corrupção? Devemos voltar às ruas e mostrar que não estamos contentes com o modelo de gestão, pedir transparências, responsabilização pelos atos, punir políticos e partidos, igualdade de direitos. Se não houverem melhoras, prefeito eleito, prefeito deposto!